• Blog

    • Início BlogRestauração no dente: quando e por que trocar

Restauração no dente: quando e por que trocar

23/05/2019 às 10:00 0 comentários Blog

A maior parte dos pacientes que chega no consultório precisa de fazer uma restauração no dente, pois além de devolver a estética do sorriso, o procedimento ainda devolve as funções mastigatórios de um dente que foi danificado por uma cárie ou qualquer outro problema.

Conhecida no meio odontológico como restauração dentária, o tratamento é simples e indolor. Apesar disso, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre como é feito o procedimento. Quer saber mais sobre o assunto? Então acompanhe a leitura deste post!

O que é uma restauração no dente?

Quando um dentista fala que vai fazer uma restauração no dente, ele está dizendo na verdade que vai reconstruir a um dente ou uma parte dele que foi danificada devido à presencia de cáries, traumas ou fraturas.

Uma restauração pode se feita com resina composta ou de porcelana, que são materiais que têm uma coloração semelhantes à cor dos dentes.

Quando o reparo a ser feito é pequeno, a restauração é feita diretamente na boca do paciente. Mas quando é necessário reconstruir uma boa parte da coroa do dente, é confeccionada uma peça que, depois será cimentada sob o dente danificado.

Qual a diferença entre obturação e restauração?

Basicamente, ambos os tratamentos têm a mesma função: reconstruir um dente e devolve suas funções mastigatórias. Mas a principal finalidade é reconstruir um dente para devolver sua finalidade mastigatória. Nesse caso, a estética fica em segundo plano. Por isso, materiais metálicos como amálgama, prata e ouro já foram muito utilizados em tratamentos de obturação.

No caso da restauração, sua principal função é devolver a estética do sorriso, ou seja, o dente é reconstruído de forma que outras pessoas não percebam que ele passou por algum tipo de tratamento. Por isso, são utilizados materiais da cor dos dentes, como resina composta e porcelana.

Quando uma restauração deve ser trocada?

Muitos pacientes ainda têm restauração de amálgama nos dentes. Esse material, além de não ser nada estético, ainda possui grandes quantidades de mercúrio em sua composição, ou seja, é um material tóxico. Por isso, é aconselhável que se faça a troca das restaurações por resina ou porcelana.

Casos os quais há infiltração no local onde foi realizado o tratamento de restauração no dente também pedem uma ida ao dentista para fazer a substituição do material. Isso porque, quando há esse tipo de problema, o dente fica suscetível à proliferação de bactérias nocivas, que causam cáries e outras doenças bucais.

Restaurações de resina que sofreram desgaste ou alteração de cor também devem ser substituídas. Casos os quais a parte reconstruída do dente quebrou ou fraturou, a troca é necessária para evitar maiores danos à saúde bucal do paciente.

Quando um paciente faz uma restauração no dente com a resina composta, precisa ter em mente que ela precisará ser trocada em um período entre 3 e 10 anos. Mas, se antes desse período, você notar alguma alteração no dente tratado, deve procurar seu dentista para que ele avalie a situação.

Gostou do post e quer receber outros conteúdos sobre restauração dentária e outros tratamentos odontológicos? Então assine nossa newsletter que enviaremos notícias quentinhas para seu e-mail.

Comentários